Companheiro

SOBRE OS LIVROS

Depois da recente obra, FLORAIS DE BACH NO RESGATE DA AUTOESTIMA, mais um livro foi editado, NUMEROLOGIA CÁRMICA NO 3º MILÊNIO. Ambos estão à venda na loja virtual da Editora PerSe 2.0. Veja as sinopses nos banners ao lado...

Anny Luz

Este blog é neutro em carbono.

domingo, 18 de setembro de 2011

- O QUE É A MATRIX?

Frequentemente, quando me refiro a autoconhecimento e autotransformação, falo em Matrix.

MAS O QUE É A MATRIX, AFINAL? 
Resumindo de forma simplificada, podemos dizer que é esse sistema controlador e manipulador, essa "realidade" cruel em que vivemos, onde muitas das informações que nos chegam são manipuladas pela mídia, pelas religiões e pelos governos. Só temos notícias de guerras, doenças, tragédias e uma corrupção revoltante, que só servem  para nos assustar, nos sentirmos impotentes e limitados. No entanto, uma grande quantidade de conhecimentos e informações, que poderiam nos libertar do medo e da limitação, nos são  omitidos descaradamente, subestimando de forma ostensiva a nossa inteligência.
Isso não significa que devemos sair desse sistema e ir morar no meio do mato. Não é preciso sair da matrix e sim libertar-se dela. Não se deixar influenciar. Mantenha-se neutro e positivo apesar de tudo. Saiba que a nossa realidade não precisa ser essa, mas que podemos criar a nossa própria realidade. Significa que precisamos crescer, conhecer o nosso verdadeiro potencial e assumir que não somos mais crianças, para acreditar em papai noel e coelhinho da páscoa.

Está na hora de começar a acreditar nos mais de 90% da nossa capacidade cérebral, que foi mantida adormecida até agora.  
É aceitar que todos temos capacidades que precisam ser desenvolvidas, as chamadas percepções extrasensoriais, tais como telepatia, levitação, telecinesia, teletransporte, autocura, entre muitas outras. Essas capacidades, que deveriam ser desenvolvidas desde a pré escola tem sido negadas sistematicamente pela ciência, religiões*, a cultura e o sistema, de modo geral. Muito embora, todos sabemos que elas existem e são um fato incontestável. (*não confundir religiões com filosofias espirituais)
Estamos no terceiro milênio, em plena era da Física Quântica! Não podemos mais continuar acreditando em tudo que o pensamento cartesiano, que não evolui desde o séc. XVII, quer que acreditemos. Principalmente quando nos dizem que não somos capazes disso ou daquilo, que tal doença não tem cura, que quem não tem PHD não é digno de crédito...que o fato de você perceber o que os outros não percebem é caso de internação psiquiátrica...e por aí vai. 
Está mais que na hora de começarmos a conhecer o novo pensamento dessa física avançada, que nos mostra o verdadeiro poder da nossa mente, através da Lei da Atração, apesar da mesma continuar sendo negada e até ridicularizada por uma minoria que não tem nenhum interesse em que conheçamos a verdade.
Mas não desista, a hora é agora,  2012 está aí! Não tenha medo de catástrofes e sim de não enxergar a verdade.
A boa notícia é que, quem tiver interesse nesse conhecimento, agora não terá mais nenhuma dificuldade de encontrar informações, pois, no momento em que alguém levanta o véu e a verdade começa a aparecer, não tem mais como retroceder. É só uma questão de tempo... 
Portanto, fique esperto, abra o olho e tenha olhos de ver, pois agora só não enxerga quem não quer! 


É hora de rever o filme Matrix, que é uma alegoria meio kafkiana, mas temos que aprender a perceber as mensagens subliminares, que estão chegando de outras dimensões, através dos filmes. Isso mesmo!...Jesus e outros grandes mestres sempre nos ensinaram através de parábolas, histórias, e com a evolução da tecnologia as parábolas foram parar no cinema. Seres muito adiantados de outras dimensões, já estão entre nós e estão agindo em todas as áreas. Acredite se quiser! Por isso estou sempre indicando filmes aqui...fique atento!

"Só existem três coisas que não ficam ocultas por muito tempo, o Sol, a Lua e a Verdade."  Confúcio. 

Quer mudar alguma coisa em você e na sua vida?
Então, leia na pág. Lei da Atração, sobre a nossa linguagem do dia a dia, leia sobre as mudanças que os florais podem nos proporcionar. Faça as práticas espirituais, sugeridas aqui.Veja mais abaixo, as reflexões e os artigos polêmicos...
Leia no meu outro blog sobre a nova ciência da Logosofia e a Ciência Noética (autoconhecimento). http://www.suamandala.blogspot.com
São tantas as maneiras de começar a fazer diferente!...

Se mesmo assim, não estiver conseguindo, pergunte, peça ajuda!...Esse blog está aqui para ajudá-lo a compreender que a vida e você mesmo, podem ser muito mais criativos, positivos e cheios de infinitas possibilidades de sucesso em todas as áreas.

Para ilustrar como estamos viciados em olhar apenas um lado das situações vou repassar essa piadinha, pra desanuviar um pouco: 

HOSPITAL PSIQUIÁTRICO

O teste da banheira-
                                
Durante a visita a um hospital psiquiátrico, um dos visitantes perguntou ao diretor: - Qual é o critério pelo qual vocês decidem quem precisa ser hospitalizado aqui? O diretor respondeu: - Nós enchemos uma banheira com água e oferecemos ao doente uma colher, um copo e um balde e pedimos que a esvazie. De acordo com a forma que ele decida realizar a missão, nós decidimos se o hospitalizamos ou não.
- Ah! Entendi. - disse o visitante. Uma pessoa normal usaria o balde, que é maior que o copo e a colher.
- Não! - respondeu o diretor - uma pessoa normal tiraria a tampa do ralo.
O senhor prefere quarto particular ou enfermaria?...rs...

Ps: agora diz a verdade... você também escolheu o balde, né?..rs..
A gente ri, mas é trágico.
Viver na Matrix é isso, é viver limitado.
A vida pode ser bem mais simples e prazerosa do que pensamos e tem muito mais opções do que as oferecidas, basta saber enxergá-las.



FAÇA DIFERENTE, LIBERTE-SE  e SEJA FELIZ!




MAIS QUESTÕES POLÊMICAS- (Ainda sobre o sistema matrix)

POR UMA PÁSCOA MAIS FELIZ
Na última Páscoa, postei aqui uma crônica do jornalista Marcelo Carneiro da Cunha com o título: "Chega de Páscoa Sofrida!". Congratulei-me com o autor dessa matéria, pois admiro as pessoas que tem coragem de dizer a verdade, enfrentando o sistema estabelecido em que vivemos. Esse sistema, (matrix) nos embota a tal ponto, que nem sequer pensamos no que estamos fazendo, só porque alguém da mídia ou das religiões disse que é bom, nós acabamos fazendo...
Alguém já se perguntou o porquê, nós devemos cultuar o massacre de Cristo? Em qual das passagens, Jesus nos disse para cultuar a tragédia?


Nesse artigo, Marcelo Cunha teve a coragem de confessar, o que muitos de nós já tínhamos sentido, mas não falamos: Que a crueldade das celebrações da Paixão de Cristo, com encenações que relembram os requintes de maldade, "sofridas" pelo Cristo, nos mínimos detalhes, é abominável.
Ele propõe que a Páscoa seja comemorada de outras formas, mais sadias, alegres e prazerosas.
E ele está coberto de razão!
O que me revolta é a engrenagem milionária, por trás dessas encenações, atraindo multidões em nome da fé e da devoção! Essas festas populares, que viraram moda em muitos estados brasileiros, exploram o massacre da Paixão de Cristo até as últimas consequências, explorando também a ingenuidade das pessoas devotas, alimentando o gosto do povo pela tragédia e enchendo os bolsos de alguns grupos econômicos. Isso sem falar nas igrejas, que fazem o mesmo, sempre enfatizando mais o massacre de Cristo, do que a sua Ressurreição e os ensinamentos que Ele nos deixou.
Complementando esse corajoso artigo, quero analisar a violência generalizada que nos cerca ainda hoje, dois mil anos depois. E me pergunto: Que espécie de prazer mórbido, leva a maioria das pessoas a gostarem de assistir a desgraça alheia? Basta acontecer um acidente na estrada, e todos param pra ver. As tragédias na tv são repetidas à exaustão, nos seus detalhes mais sórdidos, pois isso é que dá ibope e vende jornais e revistas. As pessoas gostam de ver, rever e esmiuçar os mínimos detalhes.

Quanto mais cultuarmos as tragédias mais elas acontecerão, pela Lei da Atração (ver nas páginas ao lado). Ainda mais quando está na mente coletiva, que tem uma força muito grande.

Portanto, vamos celebrar o Amor e o Perdão, que Jesus, na sua Infinita bondade nos ensinou e não a sua crucificação!
Viva a Páscoa Feliz e sem sofrimento! Jesus Cristo não é e nem nunca foi um "coitadinho", a sua crucificação fazia parte dos planos divinos para nos mostrar quem somos nós. Ele é um Mestre Iluminado, cheio de Amor e Alegria, e, sem dúvida, é assim que deve ser lembrado e reverenciado, principalmente na Páscoa! ALLELUIA!!!

---------------------------------
Esse artigo, na época, gerou polêmica e muitos comentários, por isso, ao trocar de página, pensei que seria interessante trazer junto os antigos comentários, que são muito importantes.
9 comentários:
Anônimo disse...
Deveria se envergonhar!
23 de abril de 2011 10:05
Isa disse...
As pessoas que cultuam e idolatram cenas de pura violência sob a máscara da religião é que devem se envergonhar. Chega!!!Estamos em 2011, com todos os conhecimentos que nos foram desvelados já está mais do que na hora de praticarmos a ALEGRIA, a COMPAIXÃO e o AMOR INCONDICIONAL. Não foi esse o exemplo que nosso amado MESTRE JESUS nos deixou?
Por uma PÁSCOA FELIZ E CHEIA DE LUZ!!!!
24 de abril de 2011 09:49
Nirupa disse...
Se quisermos abandonar de vez as energias densas da era de Peixes devemos nos concentrar nos sentimentos elevados e na consciência de que SOMOS TODOS UM. Sendo assim não podemos mais compactuar, com essa idolatria à violência imposta surprendentemente, por uma religiã e por todos os meios de comunicação. É HORA DE DESPERTAR !!! AMOR E ALEGRIA
24 de abril de 2011 10:00
Anônimo disse...
Acho interessante que este texto tenha causado um comentário de revolta. É sinal de que está provocando um movimento:a maioria das pessoas está imersa na matrix dos conceitos correntes. A mudança acontece movida pela força dos que tem a coragem de assumir uma posição nova, até que se atinja a massa crítica. Parabéns! Paz Amor e ALEGRIA!! Marcelo
24 de abril de 2011 11:58
Cíntia disse...
Acredito que a Páscoa é uma oportunidade de renovação. É hora de re-criarmos nossos conceitos arraigados que julgamos verdade absoluta. O grande desafio está em olharmos para dentro de nós mesmos e cultivarmos o amor ao outro, o sentimento de compaixão. Por que não celebrarmos com alegria essa oportunidade que nos é dada? Feliz Páscoa à todos!
24 de abril de 2011 12:23
Mariluz disse...
Vi o infeliz comentário daquela pessoa anônima que não teve coragem de se identificar e não entendi o que quis dizer com “deveria se envergonhar” !!!
Se envergonhar de que? De esclarecer para as pessoas o verdadeiro significado da Páscoa que nos remete a celebração da vida? De sugerir que comemoremos toda a Semana Santa com alegria no coração e com uma energia baseada em fatos positivos e lembranças boas e que se apegar ao sofrimento de uma violência não nos leva a nada? Convenhamos...
Só quem tem a mente aberta, coragem de se libertar de velhos conceitos e olhar para frente é que entende o eterno milagre da vida que renasce todos os dias como preconizou JESUS! ALELUIA AOS ILUMINADOS!!!
25 de abril de 2011 10:08
Liana Olivier disse...
Perfeitos os comentários do autor e dos blogueiros, exceto o daquele ilustre desconhecido, claro. Eu não sou católica, e isso devido ao sofrimento sentido enquanto estudava em um colégio de freiras, aos 7 anos, quando aprendi como existem falsidades e mentiras no meio sacerdotal! A beleza maior é saber que o Cristo renasceu,que voltou forte para provar sua eternidade. Mas os homens que criaram e vivem da religião católica preferiram manter em evidência a figura da crucificação como ponto forte. E é por isso que estão perdendo fieis a todo minuto! Cristo está vivo, é o símbolo maior de amor, perdão, compaixão. É assim que deve ser lembrado todos os dias.
26 de abril de 2011 17:50
Paula disse...
Na família do meu namorado, é habito ir a missas frequentemente. Inclusive e principalmente na páscoa sendo essa a mais longa por causa das encenações. E todo ano a imagem que me vem na hora que vou acompanha-los é de um gato entrando no banho.
Olha, eu acredito em Deus, sou devota do Arcanjo Miguel e Arcanjo Rafael, mas o que eu não aceito é ver um monte de alienados beijando cruz de Cristo, o padre nos fazendo sentir culpa pela crucificação...onde já se viu...adorar Cristo na cruz? Este ato significa ressaltar um momento terrível para Ele. Se isso for uma ação da paz, então deveríamos encenar anualmente o infanticídio de Realengo ou a enchente do Rio.
Temos que cultivar notícias e acontecimentos alegres, felizes.
27 de abril de 2011 15:00
Anny Luz disse...
Beleza, pessoal! Gostei de ver a polêmica causada pelo artigo desse jornalista! E fico feliz em constatar, que, pelo menos aqui, nesse espaço, a grande maioria concorda que não tem nada de divertido em assistir a encenação do martírio de Cristo nem de ninguém.
Particularmente, concordo em estimular a arte popular, mas porque não encenam o Sermão da Montanha? Jesus, aos doze anos dando um banho de sabedoria nos "doutores e sábios" do templo? Tantas passagens repletas de ensinamentos preciosos, que são totalmente ignoradas pelas igrejas!!!...Deveriam encenar a afirmação mais importante de todas: "Tudo o que eu faço vós podereis fazer e muito mais!" Se alguém for cético, aí está a física quântica para demostrar essa verdade. Veja mais no final da pág. Lei da Atração.
28 de abril de 2011 13:35
---------------------------------------------------------------------------

ESSAS SINISTRAS FESTAS DE NATAL
Apesar do conteúdo fortemente polêmico e deprimente do texto abaixo, cuja verdade não podemos mais ignorar, fico mais tranquila em saber que há 30 anos atrás, já existia alguém muito especial, que teve a coragem de assumir o que pensava e de dizer a verdade...

Por Gabriel García Márquez
Artigo escrito para o jornal El País 30 anos atrás.
Seria interessante averiguar quantos cristãos acreditam no fundo de sua alma que o Natal de agora é uma festa abominável e só não se atrevem a dizê-lo por um preconceito que já não é religioso, mas social.
Ninguém mais se lembra de Deus no Natal. Há tanto barulho de cornetas e de fogos de artifício, tantas grinaldas de fogos coloridos, tantos inocentes perus degolados e tantas angústias de dinheiro para se ficar bem acima dos recursos reais de que dispomos que a gente se pergunta se sobra algum tempo para alguém se dar conta de que uma bagunça dessas é para celebrar o aniversário de um menino iluminado que nasceu há 2 mil anos em uma manjedoura miserável.

O mais grave de tudo é o desastre cultural que estas festas de Natal pervertidas estão causando na América Latina. Antes, quando tínhamos apenas costumes herdados da Espanha, os presépios domésticos eram prodígios de imaginação familiar. O menino Jesus era maior que o boi, as casinhas nas colinas eram maiores que a Virgem e ninguém se fixava em anacronismos: a paisagem de Belém era complementada com um trenzinho de arame, com um pato de pelúcia maior que um leão, que nadava no espelho da sala.
Por cima de tudo, se colocava uma estrela de papel dourado com uma lâmpada no centro e um raio de seda amarela que deveria indicar aos Reis Magos o caminho da salvação. O resultado era na realidade feio, mas era uma manifestação autêntica e se parecia conosco.
Tudo isso mudou nos últimos 30 anos, mediante uma operação comercial de proporções gigantescas e mundiais que é, ao mesmo tempo, uma devastadora agressão cultural. O menino Jesus foi destronado pela Santa Claus dos gringos e dos ingleses, que é o mesmo Papai Noel dos franceses e que conhecemos de mais.


Na verdade, este usurpador com nariz de cervejeiro é simplesmente o bom São Nicolau, um santo de quem eu gosto muito porque é do meu avô o coronel, mas que não tem nada a ver com o Natal e menos ainda com a véspera de Natal tropical da América Latina.Segundo a lenda nórdica, a festa de São Nicolau é celebrada em 6 de dezembro, e não no dia 25. Mesmo assim, tornou-se institucional nas províncias germânicas do Norte da Europa e quando chegou aos Estados Unidos, estes a mandaram para a América Latina, com toda uma cultura de contrabando: neve artificial, velas e bolas coloridas, o peru recheado e estes quinze dias de consumismo frenético a que muito poucos nos atrevemos a escapar.
No entanto, talvez o mais sinistro destes Natais de consumo desenfreado seja a estética miserável, essa poluição visual que satura qualquer olhar um pouco mais sensível: a profusão de pinheiros derrubados e enfeitados alucinadamente com centenas de bolas, sinos e luzes piscantes, em cada canto um “papai noel” espalhando sorrisos e balinhas, sem falar nas músicas idiotas que são traduções malfeitas do inglês e tantas outras gloriosas asneiras para as quais nem sequer valia a pena ter sido inventada a eletricidade.
Tudo isso em torno da festa mais espantosa do ano. Uma noite infernal, em que as crianças não podem dormir com a casa cheia de bêbados que erram de porta buscando onde desaguar ou perseguindo a esposa de outro, que acidentalmente teve a sorte de ficar dormido na sala.
Mentira! Não é uma noite de paz e amor, mas o contrário. É a oportunidade providencial de adiar os compromissos indesejáveis. É a desculpa para as bebedeiras e comilanças desenfreadas.

É a ocasião solene de encontrarmos as pessoas de quem não gostamos, o convite ao pobre tio cego, que ninguém convida, à prima Isabel, que ficou viúva há 15 anos, à avó paralítica, que ninguém se atreve a exibir.
É a alegria por decreto, o carinho por obrigação, o momento de dar presente porque nos dão presentes.
Não é raro, mas acontece frequentemente, que a festa acabe em tiros e acidentes. Nem tampouco é raro que as crianças – vendo tantas atrocidades – terminem acreditando em qualquer coisa, menos que o Natal comemora o nascimento de Cristo.
(texto reduzido do original)

O cara estava mesmo muito à frente do seu tempo!...
Depois disso, resta a pergunta: Será que não é hora de refletir sobre o verdadeiro Espírito do Natal, começando pela nossa vida pessoal? Se essa parafernália americana fizer sentido pra você, tudo bem, se não, que tal decretar um Natal mais cristão, mais harmonioso e menos consumista? Quando simplesmente fazemos o que sentimos ser correto, independente de sermos uma gota no oceano, a sensação de paz é indescritível e vale qualquer crítica da oposição!..

---------------------------------------------------------------------------


CARTA DE UM PRISIONEIRO-
Edgar Kupfer, nascido em 1906 em Koberwitz, próximo de Breslau (Polônia), era um pacifista. Preso em Dachau em 1940, ele foi abençoado pelos deuses, com um trabalho no almoxarifado do campo de concentração. Em pedaços roubados de papéis de rascunho e com pedaços de lápis, ele rabiscava furtivamente seu diário secreto. Com o fim da guerra, Edgar Kupfer estava livre e os seus escritos foram publicados em 1956.
As páginas seguintes foram escritas no campo de concentração de Dachau, em meio a todo tipo de crueldades. Elas foram furtivamente escritas na barraca do hospital onde fiquei durante minha doença, em um tempo em que a morte nos tocava dia após dia, quando perdemos 12 mil pessoas em quatro meses e meio.
Querido Amigo,
Você me perguntou por que eu não como carne. Talvez você pense que eu tenha feito votos — algum tipo de penitên
cia — recusando todos os gloriosos prazeres de comer carne. Você pensa em filés com molhos, peixes suculentos, deliciosos presuntos defumados, e outras milhares de preparações cárneas que seduzem milhares de paladares humanos.
Então você vê que eu estou recusando todos estes prazeres e pensa que somente penitência, um solene voto, um grande sacrifício, poderia me levar a recusar esta maneira de aproveitar a vida, suportando com grande resignação.
Você parece atônito e me pergunta: “Mas por quê e para quê? E quando lhe explicar a verdadeira razão, você ficará atônito mais uma vez, porque o seu palpite estava tão distante do meu real motivo. Escute o que eu tenho a lhe dizer:
Eu me recuso a comer animais porque não posso me alimentar do sofrimento e da morte de outras criaturas. Eu me recuso a fazer isto porque eu mesmo sofri tão dolorosamente, que consigo sentir as dores dos outros pela lembrança dos meus próprios sofrimentos.
Hoje sou feliz, ninguém me persegue; por que eu deveria perseguir outros seres ou causar-lhes sofrimento? Eu sou feliz, não sou mais um prisioneiro; por que devo transformar outras criaturas em prisioneiros e jogá-las em jaulas?
Hoje sou feliz, ninguém está me machucando; por que eu deveria machucar os outros ou permitir que sejam machucados? Ninguém me maltrata; por que eu deveria maltratar outras criaturas ou permitir que sejam mortas para meu prazer e conveniência?
Onde está o mandamento: “Não faças aos outros o que não queres que te façam”?
Dá para imaginar um homem racional, de sentimentos nobres, se achando no direito de abusar da fraqueza ou da inferioridade de outros seres indefesos? Você não acha que é justamente o dever do maior, do mais forte, do superior, de proteger a criatura mais fraca ao invés de matá-la?
“Noblesse oblige”
Eu quero agir de uma maneira nobre.
Penso na horrível época da Inquisição e lamento constatar que o tempo dos tribunais dos hereges ainda não terminou; que todos os dias os homens cozinham em água fervente outros seres que lhes são entregues pelas mãos de torturadores.
Fico horrorizado ao pensar que estes homens são pessoas civilizadas, não brutos, bárbaros ou nativos. Mas, apesar de tudo, eles são apenas primitivamente civilizados, primitivamente adaptados ao seu meio cultural.
O europeu médio, flutuando entre idéias eruditas e belos discursos, comete todos os tipos de crueldades com um sorriso nos lábios, não porque ele seja obrigado a fazer isto, mas porque ele quer fazê-lo. Não porque ele tenha perdido a sua capacidade de refletir e compreender as terríveis implicações do que ele está executando. Oh, não! Apenas porque ele não quer ser interrompido e aborrecido no desfrute de seus prazeres.
E ainda tem a velha desculpa da proteína. Ora!!!...Nem vamos entrar nesse mérito, pois só um ignorante completo pode pensar que precisamos de carne para ter proteína. A nossa ciência não está tão atrasada que não saiba disso, apenas não quer admitir os fatos.
Eu penso que os homens continuarão a ser mortos e torturados enquanto os animais forem mortos e torturados. Enquanto isto haverão guerras, também, pois penso que devemos tentar vencer primeiro a nossa tendência às pequenas crueldades. Então, o dia chegará quando será fácil lutar e superar até mesmo as grandes batalhas. Mas, nós ainda estamos adormecidos, todos nós, em hábitos e atitudes herdadas. Elas são como um molho suculento que nos ajuda a engolir nossa crueldade sem sentir seu amargo gosto.

(Texto reduzido e adaptado) Traduzido por Goura Natarajas (souldefiance108@yahoo.com.br)

Como podemos perceber, mais uma vez, está na hora de cada um fazer a sua parte...
“Enquanto nós próprios formos o túmulo vivo de seres assassinados, como poderemos aspirar a quaisquer condições ideais neste planeta?”
- George Bernard Shaw -
“A arma terrestre mais violenta é o garfo de mesa.”
- Mahatma Gandhi -
"Nada beneficiará tanto a saúde humana e aumentará as hipóteses de sobrevivência da vida na Terra quanto a evolução para uma dieta vegetariana. A ordem da vida vegetariana, pelos seus efeitos físicos, influenciará o temperamento dos homens de uma tal maneira que melhorará em muito o destino da humanidade.”
- Albert Einstein -

Só gostaria de alertar que, se alguém estiver pensando em deixar de comer carne, não faça isso de uma hora pra a outra, sem a orientação de um médico ou nutricionista.

--------------------------------------------------------

PADRES PEDÓFILOS NÃO SÃO PUNIDOS PELA IGREJA
Como assim???


Preferiria sinceramente, não ter que comentar assuntos tão pesados e negativos, principalmente aqui, num espaço, que deveria ser usado para divulgar mais notícias boas e coisas positivas, mas existem certos fatos, em que o posicionamento do maior número possível de pessoas é importante e pode fazer toda a diferença, para ajudar a coibir maiores abusos.
Para quem não viu o programa Sem Fronteiras, na Globo News essa semana, estou enviando abaixo, o link do vídeo do programa, para que mais pessoas tomem conhecimento na íntegra dessa notícia vergonhosa sobre a impunidade na Igreja. Só assim, poderá haver uma mobilização da opinião pública em apoio as vítimas do número assustador de padres pedófilos da igreja católica. Eles não são punidos e continuam "ad infinitum", molestando crianças pelo mundo afora. São apenas transferidos a outros países, inclusive o nosso, para que continuem com os abusos em outras paróquias.
Aí eu me pergunto, por que a tv aberta dá apenas uma notícia rápida e resumida sobre um assunto tão grave? Por que a grande massa da população não tem acesso a informações mais detalhadas sobre um assunto seríssimo, que diz respeito a todo
s nós? Quem controla isso?


E continuam as indagações...Que poder maligno mantém intocável e inexpugnável uma Instituição que, há dois mil anos vem deixando um rastro de dor e de horror por onde passa?

Há um histórico de sete séculos de inquisição, com a morte de milhares de inocentes. É público e notório que essa referida igreja sempre foi um antro de obscenidades e sodomias, que só agora estão vindo à tona. Pensem também nos dois mil anos de mentiras, que sempre nos contaram sobre a verdadeira espiritualidade, atrasando a evolução espiritual de todo o mundo cristão no planeta...Só isso já daria um capítulo à parte, mas como se não bastasse, tem ainda as fortunas incalculáveis arrecadadas ao longo desses milênios. E para que? Para fazer o bem e a caridade? Para acabar com a fome e miséria no mundo?...
Excluindo as honrosas excessões, que moral tem esses "homens doentes", para não dizer safados e malignos, de se darem ao direito de ouvirem a confissão de pessoas ingênuas, "absolverem" os ditos pecadores, batizarem crianças, "abençoarem" noivos, pregarem moral de cuecas e tudo o mais??? E tem mais...porquê raios, o Papa é chamado de SANTO????!!!!!!!!..........SOCORRO!!!

Alguém me ajude a entender como é que nós continuamos aceitando tais heresias e ainda hoje nos inclinamos em reverências ao "santo papa"??? O meu conceito de santo é o oposto disso. Como podemos ser tão condescendentes e inconsequentes, que não damos um basta em tamanha hipocrisia? Até quando vamos assistir calados a tudo o que já sabemos há tanto tempo? Seria o medo inconsciente da Inquisição, que ainda nos assombra? Ou apenas pelo status de poder casar nas suas luxuosas igrejas, dizer que nossos filhos foram batizados na igreja tal...etc..? Ou por outros motivos?
Convido-os a uma séria reflexão e gostaria sinceramente de saber a sua opinião à respeito.

É óbvio que, no meio de tanto horror, existem e sempre existiram as honrosas excessões. Os Espíritos de Luz estão em toda a parte, principalmente onde a treva é mais intensa. São as almas boas, nobres e os Santos de verdade, que sempre fizeram um contraste gritante com todo esse cenário descrito acima. Foram pessoas de extrema humildade, que se dedicaram de corpo e alma ao auxílio desinteressado, beneficiaram centenas de pessoas em vida, e continuam espalhando a sua Luz pela Eternidade.Alguém pode imaginar uma Madre Tereza, Irmã Dulce ou S. Francisco de Assis, cobertos de jóias e de roupas bordadas a ouro, como se veste a alta cúpula do Vaticano?
Tá na hora de acordar, pessoal! Como disse aquela cantora irlandesa Shined On Conel, que causou sensação na Internet..., resumindo: "Entre o bem e o mal, vejam onde está o verdadeiro inimigo" (enquanto rasgava a foto do Papa).
Pra mim já BASTA desse horror!!! Não estamos mais na Idade Média e sim no terceiro milênio!
Mesmo que existam as excessões e que as igrejas sejam templos de oração das pessoas inocentes, em sinal de protesto, hoje me recuso a assistir qualquer cerimônia de batizado ou casamento, que dependa da "bênção" de um padre.


Se basta pra você também, espalhe esse vídeo e esse artigo aos seus contatos! Vamos fazer a nossa parte.

 

Compartilhe com seus amigos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário